Luís Renato Costa
Sou mais presente na ausência.
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Deserto
Nas areias escaldantes, minha sombra me acompanha,
Ora ao lado, ora à frente, em direção à montanha.
Lá o vento traz o frio, que esfria a noite estrelada.
Cometas e meteoros sibilam na madrugada.

Nada se vê ao longe, a imensidão é total.
Nada se vê por perto, a escuridão é letal.
Sem encontrar um oásis, o coração desidrata.
Desvalido se encolhe e bate em concordata.

Minha sombra, indecisa, aos poucos se afasta de mim,
Num canto, ao relento chora, um pranto mudo e sem fim.
Busca no céu, em vão, olhos que nunca esquece.
Cansada, carente e sem forças, no calmo deserto perece.
Luís Renato Costa
Enviado por Luís Renato Costa em 03/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria: Luís Renato da S. Costa; site: www.luisrenatocosta.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários