Luís Renato Costa
Sou mais presente na ausência.
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Quantos sou eu?
Quantos sou eu, nesta dimensão?
Um, dois, três ou um milhão?
Incertezas que afligem o pensamento.
Qual EU dos meus EUs, sou EU, no momento?

O EU maquiado, quase sempre elegante,
Face serena, olhar confiante,
Atento a tudo que vive,
Fala calma, atitude polida?

O EU sorrateiro, obscuro e arredio,
Que no escuro dos erros transita vadio,
Escondendo os defeitos que assumiu no caminho,
E no íntimo da alma, vive sozinho?

O EU submerso, que de mim mesmo é ausente,
Que eu desconheço, pois não se faz presente,
Mas que se desnuda a muitos, sem nenhum pudor,
E que talvez, de dentro me olhe, perscrutador?

O EU intangível, que brota do fundo do ser,
Sem controle, sem rumo, sem se perceber,
Impávido, feroz, sempre a emergir,
Quando os outros EUs decidem dormir?
Luís Renato Costa
Enviado por Luís Renato Costa em 03/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria: Luís Renato da S. Costa; site: www.luisrenatocosta.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários